Capacity Plan, Momentos de Crise X Momentos de Festas e as Operadoras de Celular

Poderia ser um terremoto em São Paulo, um Maremoto no Litoral do Rio de Janeiro, enfim qualquer evento de crise que mobilizasse milhares de pessoas para utilizar o telefone celular ao mesmo tempo como no dia de hoje: 25/dez/08 – Natal.

Ao longo de 6 anos venho acompanhando as operadoras de celular na região da grande SP nos períodos de festa de final de ano.

As conclusões podem ser algumas:

  • “Mudooooooooooooooooooooooooo”
  • Mensagem na Tela do Celular: “Rede Ocupada”
  • A “Operadora” não pode completar sua ligação, tente novamente mais tarde

Será que realmente o Gerenciamento de Capacidade está implementado nas operadoras de Telecom Móveis?

Fico me perguntando, hoje é natal todo mundo ligando para dar boas noticias e boas novas, e se fosse ao contrário? E se tivéssemos em uma crise global? Uma guerra explodindo com algum país vizinho, um evento de crise que afetasse diversos estados? Como irão se comportar as redes de Telecom Móveis nestes momentos?

Alguns de vocês devem pensar este cara é muito pessimista, sim e não: Apenas pense no seu pior cenário de crise.

Um causo de Mercado:
Em um grande fabricante de cosméticos do Brasil, o seu Departamento de Marketing teve a idéia de criar uma promoção onde a divulgação seria no Mensageiro: Live Messenger (MSN).  Alguns minutos após a propaganda estar online no Live Messenger surge um alerta de DDoS externo a rede deste fabricante. O TI trabalhando para diagnosticar a origem de tráfego e tentando entender as milhares de solicitações, quando depois de algum tempo, alguém comentou que o Marketing tinha lançado uma promoção assim e assado.  Investigando o problema descobriram que não era um DDoS, e sim milhares de pessoas participar de uma promoção que não tinha uma infra-estrutura c/capacidade para suportar a quantidade de acessos. Um departamento de marketing que não conversava com o TI.

Por estes e outros causos, por todos os anos durante o natal e ano novo as operadoras de telefonia móvel não terem capacidade de manter suas redes disponíveis; para todos eu pergunto: E o Capacity Plan existe nestas empresas?

Seria interessante o “Bom velhinho” utilizar rádios UHF e VHF para não ficar na mão durante suas entregas na noite de natal.

Mais um comentário: A Defesa Civil em momentos de crise montam uma rede de rádio amador ou uma rede de celular para comunicação? Custos? Confiança? Disponibilidade? Vale refletir…

Feliz Natal a Todos!

Anúncios

S.O.S. Santa Catarina – Brasil

As imagens falam mais do que as palavras.

Fotos Marcos Porto/Ag. RBS, Moacyr Lopes Júnior/Folha Imagem e Fernando Donasci/Folha Imagem

Fotos Marcos Porto/Ag. RBS, Moacyr Lopes Júnior/Folha Imagem e Fernando Donasci/Folha Imagem

Continuar lendo

Continuidade de Negócios na China, Olimpíadas 2008 e Gerenciamento de Risco.

Quando começamos a desenvolver um trabalho de Continuidade de Negócios contemplamos em uma fase inicial os serviços críticos da instituição podendo assim futuramente ir ampliando os planos e procedimentos para todos os processos e/ou serviços da mesma.

É notório que tivemos neste final de semana uma excelente e linda festa de abertura das Olimpíadas 2008, portando parabéns a todos os envolvidos na produção do evento; imaginemos fazer um Plano de Continuidade de Negócios para o evento das Olimpíadas; realmente é algo interessante, pois teríamos diversos tipos de ameaças e probabilidades espalhadas por todos os locais onde estão ocorrendo os eventos esportivos, chegaríamos em uma enorme lista de ameaças c/ probabilidade diferentes; seria a hora de tratar esses eventos levantados. Entre os possíveis cenários levantados, tomo a liberdade de criar um: Falha nos equipamentos de Projeção Multimídia no dia da Abertura dos Jogos Olímpicos. Será que durante o desenvolvimento de Plano de Continuidade, se perguntássemos a um gestor cujo é responsável pelos equipamentos de projeção de imagem do evento, qual a probabilidade de 0 a 10 de um equipamento parar durante o evento, ele faria uma escolha com uma probabilidade nula ou mínima pois estaríamos falando de equipamentos novos e testados.

O engraçado é que ocorreu, não exatamente no equipamento de projeção mas em um computador com sistema operacional Windows XP cujo gerava o sinal para o projetor.

Por sorte, o evento ocorreu e não estragou a linda festa de abertura dos jogos, e agora vos pergunto: Qual era a possibilidade disto ocorrer?  Qual o impacto que isso gerou? Os impactos financeiros? Os institucionais? E os de Imagem? Este último com valores imensuráveis poderia “manchar a China” transmitindo uma imagem de uma má organização caso o evento fosse em grande escala.

É hora de falarmos do Gerenciamento de Risco, é preciso parar de imaginar que coisas inesperadas não acontecem, sendo assim nos prepararmos para quando os eventos de crise acontecerem, vivemos em um país que anos atrás era ensinado em colégios que em nosso país não existia terremotos, claro é um exemplo um pouco grotesco, mas tivemos um recentemente na cidade de São Paulo. Portanto prepare-se, verifique quais são os seus riscos, quais os impactos que os mesmos causariam, desenvolva um Sistema de Gestão de Continuidade de Negócios e tenha a certeza que estará minimizando futuras perdas com algum tipo de crise.

Finalizando, temos um show de imagem das famosas “Tela Azul” do Microsoft Windows XP fazendo seu show também nas olimpíadas 2008.

Fontes:
http://rivercoolcool.spaces.live.com/blog/cns!D6F05428A2B8CB48!1570.entry
http://forum.powerapple.com/modules.php?name=forum&file=viewtopic&forum=62&topic=23034&start=0